Nutrição animal do cão diabético

nutricao animal

A nutrição animal do cão diabético tem como principal objetivo melhorar o controle da glicose sanguínea nesse animal.

Reduzir os níveis de glicose após as refeições e regular os horários das mesmas de acordo com os horários das injeções de insulina são os principais interesses na escolha do tipo de alimento e manejo dessas refeições. É fundamental levar em consideração as condições sociais da família do paciente.

A imposição da melhor dieta (na teoria) pode levar o tratamento do paciente ao fracasso, por impossibilidade de adesão dos tutores, seja financeiramente ou por ter uma rotina incompatível com o “ideal”. Avaliar cada situação de maneira particular e adequar o melhor àquela realidade é, ao meu ver, a chave do sucesso no tratamento do paciente diabético.

De acordo com as recomendações do Consenso mundial de diabetes em Cães, a nutrição animal mais adequada ao cão diabético é aquela com baixa concentração de carboidratos e moderada em fibras. Essa dieta favorece o tempo de trânsito intestinal do alimento, retarda o esvaziamento gástrico e a absorção intestinal, de forma que a glicose será liberada mais lentamente na corrente sanguínea. O pico de glicose após a refeição será mais discreto, podendo assim haver uma menor necessidade de insulina para esse paciente.

Há no mercado, diferentes dietas comerciais disponíveis, específicas para cães diabéticos, que atendem à essas recomendações em sua composição. São conhecidas como dietas de prescrição e asseguram plenitude nutricional e quantidade calórica suficiente para esses pacientes.

Como dito anteriormente, é perfeitamente possível manejar um cão diabético mantendo sua dieta original (simples, caseiras ou feitas de rações econômicas). O que possivelmente irá ocorrer é que a dose de insulina que esse paciente irá precisar será mais alta que a dose em um paciente em consumo de dieta de prescrição para cão diabético.

Não há diferença em relação à expectativa de vida entre pacientes que comem dietas comerciais econômicas, dietas caseiras ou dietas de prescrição. O que ocorre, de fato, é uma maior dificuldade e tempo para se adequar a dose de insulina nesses pacientes.

Seja qual for a sua realidade, recomendamos sempre que busque por informação e que faça o acompanhamento do seu animal com um veterinário endocrinologista.

Dra. Marina Madeira
Endocrinopet – Centrovet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *